Páginas

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Mais um outubro fica no meu tempo



Nossa!!! Outubro está terminando!! É impressão minha ou a Terra está girando mais rápido? Sei lá. Sei que já vi lojas enfeitadas para o natal. Até há pouco tempo isso acontecia só em dezembro... Não era? Eitá povo apressado!

Bem, independente dessa presa de consumo, fico com a impressão que a rotação da Terra não é a mesma. Ou serei eu a diferente?

O tempo é meu mistério favorito. Ainda não o conheço, muito menos o entendo, talvez porque apenas passe por ele. Cazuza disse que “o tempo não pára”, discordo, nós é que não paramos para vê-lo. O tempo fica ali, quietinho no eterno, canto dele. E ... eu? Sigo sem conseguir carregá-lo.

Na verdade, essa questão do tempo sempre permeou meu pensamento. Quando digo sempre, não é força de expressão. Desde que me entendo por gente penso nele. É. Se filosofia é refletir sobre as coisas que acontecem ao nosso redor, na vida interna ou externa; procurar respostas, ou pior, encontrar as perguntas.... Então, nasci filósofa, assumo. Defeito de fabricação, sem devolução ou conserto. Até tentei arrumar essa parte defeituosa do meu ser na tentativa de me adaptar a "normalidade". Foi em vão, não consegui e desisti.

Mas, seguindo uma linha de conhecimento atual, dizem, que existe um tempo rotacional no qual se baseia esse nosso calendário gregoriano e outro, que é psicológico, marcado por aquilo que esperamos ou vivemos etc. Por exemplo, se esperamos algo com pressa, esse nosso tempo psicológico sente o tempo passar lento. Se estamos na boa, querendo que o tempo demore a passar, ele passa rápido...rs. Que inversão!

Tento entender o que a vida quer me dizer.

Que estou acomodada? Que não queria que algo acabasse? Que estou em uma zona de conforto, apesar de todos os problemas que me cercam? Sim, porque nos acostumamos até com problemas, só para não ter que sair para outros desconhecidos. rs

É isso. A vida está me falando que tem outras histórias a me esperar, parada em um tempo mais a frente. Ai, estabanadamente, me dá um solavanco.

Vai-se assim, mais um dos outubros estranhos na minha vida. Ele acaba, ainda chove e me diz: Siga. A vida não te quer quieta, te quer correnteza, um fluir constante te fazendo percorrer o teu tempo.

Só me resta, então, pedir a ti, Tempo, Tempo, Tempo, Tempo... Que esteja eu em ti nesse meu novo voo, seja ele qual for.

video

Oração ao Tempo, de Caetano Veloso cantada por Maria Bethânia

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Na semana que Já passou II

Vi que:

Estamos em plena virtualidade, o Nobel da Paz saiu para o Obama, pelas ações que estão muito longe de mostrarem resultados. Para mim, quem está sendo diplomático, são os tais que concedem esse prêmio. Eles disseram: “olha, vai ficar feio voltar atrás, mesmo que os teus ‘compadres’ te pressionem”. Será que funciona? No mínimo estão adiantados.

Mas, enquanto ele ganhava o Nobel da Paz, o seu país não tendo mais o que bombardear, resolveu, através do pessoal da NASA, deixar dois de seus brinquedinhos caírem na lua para provocar uma pequena explosão. O show pirotécnico não aconteceu, porém, com certeza a tranqüilidade lunar foi abalada. A pobre lua deve estar imaginando o que esses predadores, que já acabaram com o equilíbrio do planeta em que vivem, estão querendo com ela.

Sim, acabaram. Não me venham com historinhas de que a situação pode ser revertida, ou de que a Terra ia mudar mesmo. Claro, até nossa pele muda diariamente, mas essa mudança não deveria ser provocada. Na semana que já passou quantos foram os milímetros de água que caiu aqui em nossas cabeças? Ao menos na nossa, aqui em Santos? Usei casaco de lã em pleno outubro e fiquei imaginando se finalmente veria neve no natal. Foi tsunami de um lado, terremoto de outro, (quer dizer, isso foi tudo no mesmo lado, na Ásia), mas anteontem a terra tremeu no Equador. Já os vendavais foram por tudo que é lado, assim como as enchentes. ( Santos, canal 4 - dia 08 de setembro)
Na Jordânia a coisa ficou foi quente. Perto de Amã, uma área de 200m² literalmente ardeu sob um calor de 400º C. A explicação de que “certos materiais orgânicos podem ter se juntado e reagido sob a superfície”, não me convenceu. Afinal, será que as ovelhas que foram fulminadas, não perceberam nada de errado, nem um calorzinho estranho em suas patinhas enquanto entravam naquele terreno? Até onde sei, elas são bem espertinhas para essas coisas.

Mas, pensando bem... Nós, que nos julgamos tão mais esperto que ovelhas, também estamos agindo como se nada estivesse acontecendo. Continuamos falando em preservação da natureza, para que nossos filhos, netos, bisnetos ou tataranetos não sofram as conseqüências... “Líderes” mundiais ainda se reúnem para discutir ações que evitem desmatamentos, emissão de CO2 etc... Esses estão é atrasados. Estarão nos próximos dias discutindo teorias, enquanto é só olhar pela janela e ver o resultado prático de tanta inércia. Cá para nós, eles deveriam aproveitar esse momento e criarem o plano B... Àquele que devemos ter em mãos quando o A não funcionou.

Minha vontade é gritar: “Acordem meninos e meninas (desculpe o plágio)!!! ” . Já estamos sofrendo as conseqüências dessas alterações. Se em 2050 a temperatura média do planeta estiver 4 graus mais alta, não será devido a um clique no controle remoto do ar condicionado da Terra. Ela está mais elevada, continua aumentando e até lá, muita água vai rolar, cair e sair do lugar... A Terra e tudo que temos como certo vai tremer. O que vamos fazer? Quais as ações concretas vamos tomar? O que temos realmente que mudar? Como vamos nos proteger? Você sabe quem é da defesa civil da área onde você mora?

Já que não adianta falar para os terráqueos, o jeito é gritar para outros:
“Alô, Alô Marciano... A coisa aqui tá cada vez mais russa... Cuidado que podem mandar uma bomba ai também”.

AH!!! Essa é a música. Perfeita. Infelizmente ainda atual, mesmo que por outros motivos. Foi escrita por Rita Lee para a voz de Elis.
video

domingo, 11 de outubro de 2009

Lá foi Mercedes Sosa cantar com Violeta



Morreu Mercedes Sosa, foi no dia 4.

O que dizer? De Mercedes não se diz, acredito eu, Se ouve, Se sente, Se admira, Se ama... Se orgulha... Sim. Se orgulha... Me orgulho, quando a ouço, de MINHA LATINIDADE.

Quando a conheci, no final dos anos 70, descobri o que é ser Latina. Foi através dela que veio Tarancón, Pablo Milanés, Victor Jará, Violeta Parra, o condor, os Andes, o som da ocarina, enfim, conheci a Minha América.... Aquela que sofria, como o meu Brasil, nas violentas mãos das ditaduras.

Foram muitas histórias vividas através dessas descobertas, que fermentaram e impulsionaram a vida desta criança dos anos 60, que agora escreve aqui.

Mas são outras histórias, de outros tempos, porque

Todo Cambia...Tudo Muda

Muda o superficial
Muda também o profundo
Muda o modo de pensar
Muda tudo neste mundo

Muda o clima com os anos
Muda o pastor e seu rebanho
E assim como tudo muda
Que eu mude não é estranho

Muda o mais fino brilhante
De mão em mão seu brilho
Muda o ninho do pássaro
Muda a sensação de um amante

Muda o rumo do andarilho
Ainda que isto não lhe cause dano
E assim como tudo muda
Que eu mude não é estranho

Muda tudo muda
Muda tudo muda
Muda tudo muda
Muda tudo muda

Muda o sol em sua corrida
Quando a noite o substitui
Muda a planta e se veste
De verde na primavera

Muda a pelagem a fera
Muda o cabelo o ancião
E assim como tudo muda
Que eu mude não é estranho

Mas não muda meu amor
Por mais longe que eu me encontre
Nem a recordação nem a dor
De meu povo e de minha gente

O que mudou ontem
Terá que mudar amanhã
Assim como eu mudo
Nesta terra tão longinqua

Muda tudo muda
Muda tudo muda
Muda tudo muda
Muda tudo muda
Mas não muda meu amor...
(música de Julio Numhauser, imortalizada na voz de Mercedes Sosa)

Sou Grata, minha irmã que agora deve estar em dueto com Violeta.
 Isso se ela ainda estiver por ai.


video

Recent Posts