Páginas

domingo, 9 de outubro de 2011

Mudando Paradigmas VIII - Reaprendendo com as estrelas


No talk do Painel Global, no dia 04 de setembro, no post 21,  um amigo fez um comentário que fiquei de responder.. Como só consegui hoje escrever essa resposta e talvez ela não caiba no talk, resolvi deixá-la aqui no Conversas, até porque faz parte de um pensamento que venho desenvolvendo em meu blog, sobre Mudanças de Paradigmas.

O comentário do dudu foi esse:

Olá Sandra, eu acho que a natureza é um desfile infindável de eventos cíclicos, como se composta de milhares de engrenagens invisíveis. Nos anos 1930, físicos teóricos, mais notavelmente Einstein, consideraram a possibilidade de um modelo cíclico para o universo como uma alternativa (eterna) para o "Big Bang" Vídeo dedicado ao Ano Internacional da Astronomia (2009). Cosmologia, Teoria do Big Bang, a evolução da Ciência. O Universo, para você descobrir.


Aqui minha resposta:

Dudu, concordo contigo quanto a esse desfile infindável de eventos cíclicos, muitos ainda nem sequer imaginados por nossas mentes sonhadoras e buscadoras.

A realidade do universo vai muito além de nossa imaginação e a cada dia, a cada descoberta, a cada imagem captada isso se confirma.

A criação do universo é eterna, nada é parado, estático, fixo … Tudo é movimento constante e dentro de uma ciclicidade que foge a nossa compreensão.

Quando reflito sobre isso sempre penso em nós, seres humanos, que como parte dessa engrenagem - afinal vivemos nesse universo - temos tanta dificuldade em realizar até pequenas mudanças. Emperramos nosso ritmo. Vivemos em círculo, como um cachorrinho que corre atrás do próprio rabo. O quanto será que mudaríamos nossas vidas e sociedade se conseguíssemos entrar de vez nessa engrenagem e não resistíssemos a pertencer a esse ritmo? Acho que mudaria quase tudo.

Outra questão que percebo quando olho as imagens do universo é seu desenho espiralado, o que me leva a entender como esses ciclos são expansivos, diferentes daqueles ciclos de eterno retorno. Nada na natureza se repete, assim como nada na vida é igual. Para a expansão se dar, só quebrarando os círculos viciosos que nos fazem girar, girar e não sair do lugar.

A humanidade ainda tem muito que aprender olhando as estrelas. Se dedicássemos mais tempo a elas, talvez voltássemos ao inocente olhar que impulsionou os homens da nossa pré-história a buscarem outros patamares de conhecimento.


Vou inserir aqui o vídeo que deixou no Radar sobre cosmologia. 
Gratidão

 


Um comentário:

  1. Olá sandra, muito aprendo com todos voçes do PG!
    excelentes colaboradores! David Icke, fala muito em ciclo reencarnatório,que se torna a BASE de toda essa PRISÃO! Eu pesquiso muito, EQM.,vidas passadas, ufologia, civilizações antigas, acho que tem tudo a ver com fisica quantica! obrigado Sandra, fica em paz.

    ResponderExcluir

Recent Posts