Páginas

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Semeando I : Não espere resultados, siga semeando.




Em uma recente Conversas com a Vida recebi uma senhora bronca com todos os puxões de orelhas a que tinha direito porque não entendia as mensagens que ela enviava. Fazer o que? Ainda sou analfabeta nessa linguagem simbólica.

Mas, bem que ela poderia facilitar e fazer como o Sol em “A Extraordinária Aventura vivida por Vladimir Maiakóvski no Verão na Datcha”. Ele entrou sala adentro para um chá e conversou cara a cara com o poeta. Ao final chegaram ao mais belo dos acordos que conheço:


“Brilhar para sempre,
brilhar como um farol,
brilhar com brilho eterno,
Gente é pra brilhar
que tudo o mais vá prá o inferno,
este é o meu slogan
e o do sol”.

Só que a vida deve ter agendada mais conversas que o Sol. Com tanta gente reclamando dela não deve ter tempo para chegar assim para um chá, tem que utilizar de outros artifícios para dar seus recados.

Dessa vez o meu recado foi:

“Não espere resultados, siga semeando”

Eita coisa difícillll.. Não foi a tôa que bati tanto a cabeça até entender mais essa. Condicionada que sou por um sistema que utiliza a fórmula metas e resultados para alcançar objetivos, como fazê-lo?  Pedi que ela explicasse melhor, enquanto isso continuei batendo a cabeça no muro das lamentações dos sofrimentos inúteis.

Foi ao terminar de escrever a minha última postagem, “Novamente 2012 e as histórias sem fim de Fim do Mundo” que a ficha caiu. Plin... 

Esclarecendo: quando escrevo não penso muito, apenas deixo fluir o que já está pronto em mim. Por isso ao chegar no ponto final e ler o texto pensei: “Preciso falar mais das possibilidades de um novo mundo e de tanta gente mudando paradigmas e seguindo seus caminhos sem pensar em resultados, apenas fazendo o que tem de ser feito".

Nesse instante entendi a mensagem que a vida tinha dado, estava me prendendo ao esperar o resultado de algumas situações que estou vivendo para poder viver outras. Ufa... Tão simples.

É que somos muito apegados a padrões, pessoas e situações mesmo que ruins, enquanto a Vida é pura correnteza de energia. Quando nos defrontamos com essa correnteza sabemos que em algum momento o mergulho será inevitável. Quando? Sei lá, cada um tem seu tempo e para essa correnteza o tempo não existe. Entrar nela é um processo natural que nos dará a consciência de onde já estávamos.

Pena que somos lerdinhoooos... Ao invés de mergulhar de uma vez ficamos primeiro admirando a correnteza, depois colocando os pezinhos nela, ao mergulhamos resistimos e entramos em conflito entre a força que nos envolve e o medo ancestral da entrega. Os mais raros, diria heroicos que se entregam de pronto a essa força, são levados para onde a vida necessita. Muitos misticos chamavam a isso de loucura Santa.

Mergulhar nessa correnteza é o grande exercício da fé e quem a tem não espera por resultados, segue semeando porque sabe que a vida se encarrega do resto.

Lembrei de duas histórias perfeitas para ilustrar essa ideia do semear. A que postarei aqui foi uma das primeiras mensagens que recebi por e-mail em power-point e tem a definição perfeita desse semear. É da senhora que espalhava sementes na estrada. Linda.... A outra deixarei sozinha em outra postagem com "O homem que plantava árvores".

.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recent Posts