Páginas

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Lila... Lilas... Lilás...

Nada de construtivo nasce do ódio, do medo e da raiva...  Uma sociedade que apresenta todos esses sintomas é uma sociedade doente;  UTI a espera.

No presente vejo o resultado de uma
sociedade que cresceu na desarmonia, semeada na divisão, exclusão social e preconceito.

Uma sociedade cercada pelo medo da violência que a ronda como fantasma a trazer a insegurança ... Violência colhida como fruto do que foi semeado. Os mesmos que tanto a temem e cobram o seu fim, são os que a regam e dão guarita, dentro de si.

Não consigo pensar nisso, sem lembrar que no ano passado uma mulher foi linchada devido mentiras virtuais, espalhadas para alimentar esse medo. Foi arrastada e sem defesa arrebentada em plena rua. Não foram alguns homens impiedosos que a mataram, esses foram fantoches dessa sociedade covarde e hipócrita, sua assassina.

Todo dia pessoas são massacradas, levadas ao tribunal das calúnias e pisoteadas por um bando de “bons cidadãos” tementes a Deus, cheios de uma moral cheirando a mofo e carregados de um ódio que beira a insanidade. São jogos de interesse onde a justiça é o que menos conta. 

Falam de corrupção e justiça, sem perceberem as sujeiras de suas  mãos. Outros, já cegos pelo medo, são guiados como uma manada... Nada conhecem daquilo que falam. Reclamam sem saber a fundamentação do que dizem. Falam de justiça enquanto enterram qualquer possibilidade de que ela, a justiça, sobreviva.

Minha única certeza é que em terra onde prevalece o "dente por dente e olho por olho", ao final sobram apenas cegos banguelas. 

Contra tudo isso, nem sei se adiantam palavras... Talvez, só  a oração, um exercício de imaginação criativa... Um esforço sobre-humano para projetar o oposto dessas atitudes tão degenerativas... Estimulando a delicadeza, o encantamento do belo, do suave, da alegria, da esperança... Uma energia que renove as células tão ácidas e deformadas... Tão doentes... Talvez... Talvez...Um contágio massivo de Lila...Muitas Lilas... Lilás...

Um comentário:

  1. Como já dizia Rumi, o grande poeta do século XII, só o amor mos reajusta. O amor é o melhor professor, sempre!
    Vamos por aí! Amando... sem perder as esperanças de que um dia, todos despertaremos para ele.
    Beijos, Sandrinha!

    ResponderExcluir

Recent Posts