Páginas

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Amada irmã Terra, que a força te mande coragem.


drops of life, from Sikkim  series 1924 - Nicolas Roerich
Hoje é o dia da Terra, como se os outros não o fossem.

Dia desse amado Globo que nos sustenta em sua superfície enquanto navega na órbita de um sistema que o mantêm... Uma cadeia infinita, desconhecida dessa raça humana que pouco sabe e pouco quer aprender de todas as lições que lhe são dadas; insistentemente.

Procurei em meu coração palavras para mais essa conversa contigo, amada Irmã Terra.

O que posso dizer ? Que aprendi a te ver como uma Irmã quando entendi a relação de São Francisco com o Irmão Sol e a Irmã Lua!

Dessa relação aprendi que somos todos seres em transformação contínua, evoluindo e migrando para outros patamares desconhecidos. Evoluímos na medida que nos doamos à evolução do próximo reino e nessa fraterna ligação e colaboração nos tornamos o que chamamos irmãos.

Uma irmandade cósmica onde um sustenta o outro num equilíbrio perfeito. E assim Irmã Terra, entendi que com teu corpo colabora para a evolução dos reinos que a habita, inclusive o humano.

É, amada Irmã, aqui esse equilíbrio foi rompido. Em tua superfície cometemos todos os desatinos e desvarios de uma civilização enlouquecida pela ilusão de que é seu dono e de todos os reinos.

Imagina, se não conseguimos nem ver os da nossa espécie como irmãos e amar uns aos outros como se fossem a nós mesmos, como conseguiríamos ver o chão que pisamos como parte de um corpo também irmão..... Como poderíamos chegar a entender essa tua doação e colaborar nessa fraternidade?

Pobre civilização que não respeita nem o solo que se entrega para a sua vida.!

Amada Irmã, essa tua doação e sangramento insano deve estar elevando tua luz interna. Tua energia se acelera e caminhas para ser um planeta ainda mais iluminado.

Enquanto nós.... Quem sabe em outra orbe, em outro espaço, de longe a olhemos admirados observando sua intensa luz, sentindo no coração uma saudade desconhecida. Aí ficaremos imaginando um dia poder tocá-la sem ter ideia que já a habitamos e quase a destruímos.

Como canta o Poeta Caetano... "Por mais distante, o errante navegante, quem jamais te esqueceria.... De onde nem tempo nem espaço, que a força mande coragem, pra gente te dar carinho durante toda a viagem, que realizas no nada, através da qual carregas o nome de tua Carne... Terra, Terra....".


Amada Irmã Terra, Perdão, pois esquecemos "que gente é outra alegria, diferente das estrelas....".



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recent Posts